Cinema virou sinônimo de Hollywood e, agora, é comum perceber a falta de tolerância de parte do público para filmes sem efeitos especiais absolutamente estonteantes e películas que cheirem a dinheiro.

É o jeito que as coisas são… o mercado tem de descobrir como fazer com que seu produto seja único e daí oferece algo que seja fascinante, ainda que a qualidade inerente ao produto seja instatisfatória.

O resultado desta cultura costumam ser filmes que chamamos de “muito bem produzidos” que têm uma estória péssima.

Há outras formas de fazer, contudo, que não exigem super-produção, altos custos ou tempo excessivo… e é aí que entra a criatividade.

Partindo do mesmo raciocínio que deu origem ao Dogma 95 de Lars von Trier e Thomas Vinterberg – que preconizava a criação de um cinema mais realista e menos pasteurizado – começamos na dotweb a desenhar nossa prova de conceito sobre um vidcast cujos requisitos exigissem mais criatividade e engenhosidade que software e equipamentos dispendiosos ou uma fatia de tempo proibitiva.

O SteamCast foi produzido para ser publicado no endereço SteamCast.com.br, site do Conselho SteamPunk dedicado a rich-media, vídeos, áudio e tudo mais que tenha relação com entrevistas, programas sobre o Movimento SteamPunk no Brasil e no mundo.

Foi quase um ano de planejamento e construção de um processo que permitisse a criação de um vidcast que demorasse 24 horas não consecutivas para ser confeccionado por apenas uma pessoa. O custo do planejamento valeu a pena, uma vez que daqui por diante qualquer vidcast produzido por nós vai demandar uma quantidade de tempo que é uma fração da utilizada por qualquer produção do tipo feita no passado.

O trabalho envolveu roteiro, contatos, entrevista, produção, gravação, direção, legendagem, sonorização, edição, pós-produção e divulgação e não parecia possível despender apenas seis blocos de quatro horas diárias ou doze blocos de duas horas diárias para confeccionar um vidcast e foi exatamente isso que conseguimos alcançar.

O resultado, elogiado no Brasil e que recebeu reconhecimento nos EUA, Canadá, Inglaterra e Alemanha, pode ser conferido no vidcast abaixo:

Bruno Accioly