novembro 17, 2006

Por vezes vale a pena se estrepar...

O original, no YouTube, em tamanho maior...


Postado por baccioly em 12:15 AM | Comentários (1)

novembro 09, 2006

ClickStar

Nada mais estereotípico que a figura do jovem revolucionário mas, com 69 anos, Morgan Freeman - o adorável sábio de "A um Passo da Eternidade" e o narrador da abertura de "Guerra dos Mundos" - embarca na controversa odisséia com aqueles que apoiam a contra-cultura da distribuição de vídeo pela web.

Usando a Revelations Entertainment - sua empresa fundada com a produtora Lori McCreary - e uma parceria com a Intel, Freeman fez um sério movimento no sentido de chacoalhar o jeito como Hollywood distribui suas produções.

O novo empreendimento foi anunciado em Julho deste ano por Freeman e por Paul Otellini, Presidente e CEO da Intel, na Allen & Company Sun Valley Conference.

Relutante em sofrer dos mesmos males que a indústria da Música, Hollywood evitou, até o momento, oferecer suas produções em formato digitalizado. Entretanto, com um porta-voz como Morgan Freeman é possível que as coisas mudem de figura.

O próprio ator argumenta que seu acordo com a Intel vai fornecer aos usuários "uma forma simples, fácil e atrativa" de evitar a pirataria.

O usuário de internet está ávido por mudanças, legais ou não.

De uma vez por todas - e leiam com atenção - é terminantemente proibido a você, que comprou um CD, fita K7 ou LP, transferir o conteúdo para qualquer outra media. O que você comprou não foi a música, mas o direito de tocá-la única e exclusivamente na media que você adquiriu. É crime, portanto, fazer uma cópia de segurança de seus CDs para outros CDs; transferir o conteúdo de LPs e K7s para CDs; copiar conteúdo de quaisquer media contendo músicas ou filmes para seu computador, iPod ou MP3 Player genérico.

Isto não é brincadeira. É a legislação vigente.

Logicamente, baixar material protegido por copyright via eMule ou bitTorrent é igualmente uma atividade criminosa.

O assunto vem sendo largamente discutido no RadarPop, bem como em todas as agências de notícia que acompanham o fenômeno da explosão no uso de MP3, MP4, MP3(4) Players.

O Windows e o MacOS embutem a capacidade de copiar todo conteúdo de CDs e DVDs para dentro do HD da máquina, ainda que isto seja ilegal.

Dizer que está tudo de pernas pro ar no reino da Literatura, Música e Vídeo, não é nenhum exagero.

E é por isso que iniciativas como a de Morgan Freeman são tão importantes.

"Vamos pular a etapa pela qual a indústria fonográfica teve de passar de modo a chegar antes dos piratas", disse Freeman aos repórteres após sua apresentação do projeto em Sun Valley.

O empreendimento será liderado por Nizar Allibhoy, ex-executivo da Sony Pictures e a ClickStar tem tentado fechar acordos com estúdios e produtores.

Hollywood vem fornecendo filmes via internet já há cinco anos, através de um joint venture de cinco estúdios e CinemaNow - MovieLink - porém não se tornou lá tão popular com o público, em parte por causa do limite no número de títulos mais antigos e em parte porque o site sequer pode ser visto de fora dos EUA, a não ser com o uso de artifícios como o HideMyAss.com, que escondem seu IP dos servidores americanos.

A Sony e a Warner pretendem fornecer soluções próprias de distribuição de material cinematográfico pela web, mas o projeto de Freeman e da Intel é bem mais ambicioso.

Segundo Bill Calder, porta-voz da Intel, a corporação e Freeman vêm trabalhando juntos já há alguns anos para projetar processos de distribuição de vídeo digital usando mecanismos wireless de longa distância, dentro de uma estratégia chamada The Digital Home.

Robert Redford e o Sundance Festival entraram na jogada com a Intel e Freeman, recentemente, exibindo filmes usando a tecnologia.

A ClickStar pretende lançar filmes pela internet antes mesmo de seu lançamento em DVD e, para tanto, vai precisar de parceiros de peso, o que explica o motivo da apresentação na Conferência de Sun Valley, que tem a reputação de anualmente reunir CEOs de media, investidores e figuras chave na área de Cinema.

Dentre os presentes na conferência estavam Rupert Murdoch (News Corporation), Michael Dell (Dell Corporation), Michael Eisner (Dysney) e o investidor Warren Buffett - o homem-de-46-bilhões-de-dólares, a segunda pessoa mais rica do mundo segundo a Forbes.

Em outra entrevista Freeman afirmou que "A ClickStar é endereçada a crescente demanda por conteúdo digital - sobretudo cinematográfico e televisivo. Nosso objetivo é entregar conteúdo inédito para fans do cinema em todo o mundo a tornar mais fácil comprar que piratear estas obras."

A estratégia da ClickStar, diante disso, é criar um serviço online no qual o consumidor possa acessar, pagar e fazer o download de lançamentos inéditos, antes de sair em DVD. Este novo canal será projetado de forma a aproximar fans e cineastas, fornecendo um veículo para uma nova experiência de entretenimento. Diante disso, se a indústria cinematográfica e televisiva tiverem um pouco de jogo de cintura, novas oportunidades de crescimento e lucrativos modelos de negócio podem surgir daí.

A ClickStar é uma importante iniciativa, de fato, mas talvez seja apenas um primeiro passo da Revelations Entertainment, que segundo Freeman está "Comprometida com o desenvolvimento e produção de obras de entretenimento comercialmente bem sucedidas em toda media emergente que promova o enriquecimento, a expressão e glória da experiência humana". Metas ambiciosas para um homem admirável e de notórias conquistas.


Postado por baccioly em 03:38 PM | Comentários (1)